Eu sei

19-07-2014 15:40

Deixei de escrever. Coloquei a folha de lado e pousei a caneta. Nao me sentia com a capacidade necessaria para transmitir a quem fosse, nem a mim mesma, o que se passava dentro da minha mente. Uma calmia assustadora, como aquela que tememos e aguardamos durante o filme de terror e tentamos avisar a personagem "nao vas por ai, vais morrer! " e a personagem ignora. Talvez por estar escrito no guião que assim tem de ser ou simplesmente porque nem no cinema se e aventureiro para discordar do que ja está escrito. Fujo e corro para os meus cantos escuros, percorres tudo a minha procura e persegues-me, massacras-me os pensamentos, rebaixas-me as ideias, sufocas-me a voz enquanto tento gritar em angústia crescente que nada disto foi o que tentei escrever em todas as letras que desenhei com uma caneta usada e gasta. Por muito que mude de caneta, que mude de papel, a historia repete-se sempre. Mas oico-te, sussurrar-me quase de forma inaudível,que não me vou perder, que tenho o teu ombro onde me apoiar. Depois a voz dela, que me entra na mente de forma direta empurrando me a realidade de que não irá partir. Ah! Palavras...e palavras sem fim, que dão cabo de mim, me deixam assim e me voltam a acordar!