E tu...

15-09-2014 21:45

E tu gritas, imploras,
Que pela vida fora
Exista a tua hora.
Que sejas desejo eterno,
Que sejas palavra doce,
Serás o que espero,
Tentando que o mundo fosse
O sitio pelo qual te agarras
Desejando esse desejo carnal
Foi vislumbre acidental,
Desse teu corpo de fada
E não me arrependia nada
Se agarrasse e desaparecesse
Assim na alvorada
De mão dada
De alma acorrentada!
E vem, devagar devagarinho,
Brincar comigo no meu caminho
Onde está escuro, bem escurinho!
E te derretes no silencio deste olhar
Onde te seguras sem te agarrar
E te perdes sem te encontrar,
No amor que te dou, que te dei
E onde te deixei , a olhar
Para o nada.